Categorias

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Primeiras apresentações de Dança do Ventre em Palmas-TO

Nota de apresentação do Grupo Devadasi, no Jornal do Tocantins.


Então minha gente,  estou aqui de volta com o assunto Dança do Ventre. Decidi fazer meus registros no blog, pois assim vocês que me acompanham aqui podem conhecer um pouquinho desse momento vivido por mim e as pessoas que participaram comigo de tudo isto, também podem acompanhar e guardar estes momentos valiosos,e  mostrar aos filhos, sobrinhos, familiares e amigos.

Estas foto-colagens retratam o curto período em que existiu um grupo amador de Dança do Ventre, aqui em Palmas-TO,  durante o ano de 2001, que nossa professora na época Serina Raruá, não sei por que cargas d'água denominou de Grupo DEVADASI. Acho que se nós soubéssemos o que significa de fato ser uma Devadasi não teríamos concordado com este nome. Levei um susto ao saber o que de fato viria a ser uma Devadasi, é uma prostituta indiana ou melhor dizendo, mulheres que cultuam a deusa através do seu corpo, prestando esta reverencia através do sexo, no templo. Mas eu entendo que o intuito de nossa professora foi nos chamar de “servas da deusa”.

Mas deixa estar, é vivendo que se aprende, mas serve de alerta para quem quer nomear grupos de dança, ou para quem quer escolher seu nome artístico, não basta achar bonito. Vai saber o que significa, valeu?
http://www.terra.com.br/revistaplaneta/edicoes/437/artigo126052-1.htm, aqui neste link temos uma breve ilustração do que é uma Devadasi, "serva da deusa".

Bem, vou confessar uma coisa, na época eu não pesquisava tanto quanto deveria,  sobre estes assuntos, o pouco que juntei de acervo sobre dança do ventre, colhi no site http://www.khanelkhalili.com.br/frame.htm, que inclusive tenho textos extraídos de lá, que hoje já foram retirados do site. Textos de Lulu from Brazil de um antigo site seu, pois, agora já é outro- http://lulushangrilahouse.blogspot.com.br/, mas eu tenho tudo arquivadinho para estudos.

O fato é que este grupo que foi composto inicialmente por Ana Célia, Ana Paula, Sônia Cristina e Estela fez umas pouquíssimas apresentações amadoras, umas três se não me engano. E, sinceramente não tenho medo em dizer, se eu pudesse voltar no tempo eu, estou dizendo, eu, meninas... Não me meteria nisso: Sair dançando sem saber dançar direito.

Hoje analisando com calma, acho que fomos com muita sede ao "jarro da dança", não basta saber executar os passos básicos e achar que está apta a ser uma bailarina de Dança do Ventre, tem muito mais coisas em jogo, muito mais. Talvez seja por isto que o grupo não foi em frente, faltou preparo.

Além de você já estar apta, ou seja, já ter pelo menos terminado o nível avançado, você deve ter noções de como se portar antes, durante e depois das apresentações. Seria interessante investir em cursos, workshops e obviamente estudar sempre para ter uma qualidade na sua dança.

Fui feliz demais, sim eu fui, mas hoje eu pensaria mil vezes. Eu tenho as apresentações gravadas do Devadasi, mas primeiro eu tenho que consultar as meninas e saber se eu posso trazer a público. ;)

Mas uma coisa é certa, tínhamos coragem! Ou será que éramos caras de pau mesmo?

Colaboração editorial: minha coleguinha Hamistenie Borges.

4 comentários:

  1. Paula, o "Nas estradas do tempo" é cultura pura, aprendi muitas coisas nesta postagem.
    Suas postagens são ótimas, eu fico no aguardo da autorização das outras integrantes do grupo, para ver os demais apresentações.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amiga por sua visita, que bom que tu estas gostando. Vamos ver se elas me autorizam.

      Excluir
  2. Oi manhenha... eu ao contrário de vc faria tudo de novo rsrs... mas não pq passava pela minha cabeça q eu fosse bailarina de dança do ventre e tals, mas por eu me apresentar por diversão msm. Qdo se dança por diversão vc emana alegria ao público, o sorriso no rosto fica mais sincero e isso é uma das coisas q cativa quem está na platéia. Mas se lá atrás me dessem a escolha de dançar dança do ventre ou boi bumbá/carimbó... eu ficava só com as danças folclóricas do nosso querido norte... elas sim alimentavam minha alma, é só comparar uma apresentação minha de boi com uma de dança do ventre procê ver aonde eu me sentia em casa rsrsrs. ah e quer saber mais o q? todas nós dançávamos pq nos divertíamos msm, até pq qts cachês nós recebemos?! huahuahua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado Ana Célia, eu tenho plena convicção de que fazíamos por simples amor a dança, fosse ela qualquer uma.
      É por isso que quero voltar a este mundo de sonhos, por pura diversão. Naquela época eu, particularmente, me cobrava demaaaais, arri égua, eu era muito dura comigo mesma.
      Agora quero mais e ser feliz e mais nada, e praticar por prazer, mas sempre com estudo sério, :0
      É, eu me sentia mais em casa no carimbó e boi-bumbá! Também, isto está na nossa veia!

      Excluir

Caminho, Verdade e Vida

Caminho, Verdade e Vida
Nossa Luz

Música Oriental